Segundo pesquisas do IBGE, o desemprego no ano de 2015 chegou ao índice de 8,1%, sendo considerado um dos mais altos da história. Este cenário de desemprego ocasionou, neste mesmo ano, o aumento significativo do empreendedorismo por necessidade.

Aí entra a criatividade! Numa realidade onde tudo é comercializado, e a tecnologia parece ter chegado a um ponto em que não se há mais o que inventar, o diferencial competitivo de cada indivíduo empreendedor passa a ter um valor maior, passa a ser o ponto decisivo entre o sucesso ou o fracasso do empreendimento. A inovação, a reinvenção, a aplicação da criatividade em processos e produtos já existentes, fazem com que estes tornem-se novamente atrativos, e quando combinados com os outros ingredientes necessários à uma empresa, como, por exemplo, o marketing, uma equipe motivada e comprometida, o conhecimento dos riscos existentes no mercado, entre outros,  resultam no tão esperado e buscado sucesso.

Talvez seja desta forma que a nossa economia recupere o fôlego, e, pouco a pouco, consigamos driblar este quadro com o nosso jeito brasileiro – criativo – de encarar os desafios que enfrentamos no cotidiano.

Dayanne Araújo

Analista de Recursos Humanos